Thursday, 16 January 2014

Hoje é dia de rock - Radio Mayrink Veiga

'Hoje é dia de rock' was a radio show produced by Jair de Taumaturgo broadcast on Radio Mayrink Veiga in Rio de Janeiro. It started circa 1959. One can follow its career through the weekly magazine Revista do Radio beginning November 1959, when Neil Sedaka visited Rio de Janeiro being invited as a special guest on the show.


After 'Rock around the clock' (Ao balanço das horas) was shown in cinemas around Brazil in late 1956, young people were much more interested in the rhythm and bought rock records by the loads. Soon, Brazilian acts were recording rock songs but it took a while for a real Brazilian rock act to prevail.


In 1958, Carlos Gonzaga's cover of Paul Anka's 'Diana' was a national hit.

In 1959, Brazil really rocked with Celly Campello's 'Estúpido cupido' - Neil Sedaka's 'Stupid cupid' translated into Portuguese. Neil Sedaka himself visited Rio and São Paulo in November 1959 and there were a few rock radio shows on different radio stations in Rio and São Paulo.

'Hoje é dia de rock' was one of the first rock radio programmes to appear. Jair de Taumaturgo was director of Rio de Janeiro's Radio Mayrink Veiga and saw a great potential in rock as a new market force. Even though Taumaturgo was 42 years old and had a shock of grey hair he knew what he was doing. He produced the show and asked Isaac Zaltman to compere it. And it was a smash hit.

Neil Sedaka visits 'Hoje é dia de rock' at Radio Mayrink Veiga in Rio de Janeiro in November 1959 and is mobbed by teens. Sedaka was hardly known in his own country having had released only 'The diary' before that.  
'Hoje é dia de rock' (Today is rock day) was a radio programme broadcast by Radio Mayrink Veiga in Rio de Janeiro every day from 6:00 to 6:30 PM. On Saturdays it was broadcast live from the Radio Tupi's auditorim from 2:00 to 3:00 PM. It was produced by Jair de Taumaturgo and presented by MC Isaac Zaltman.
12 April 1960 - 'Correio da Manhã''s little biography of Isaac Zaltman born on 16 December 1926.

Revista do Radio would always print photos of the best impersonations presented on the Saturday afternoon. Here's RR's issue of 13 August 1960.



1961 



Em 1961, Carlos Imperial começa sua coluna 'O mundo é dos brotos' na Revista do Radio, onde ele monitora os avanços do rock'n'roll no Brasil. No Rio de Janeiro, Imperial diz que broto é acordado de manhã com o programa Samba-Rock da Ruth Sheila, diariamente pela Radio Vera Cruz; depois liga para a Radio Rio de Janeiro onde Ignácio Heleno seleciona as melhores gravações de Elvis Presley, com uma passagem pelo 'Variedades José Messias'. Vai até o programa de Luiz de Carvalho, na Radio Globo as 10:00 hs., onde sempre há rock e cha-cha-cha. As 11:30 na Radio Tupi, Antonio Magalhães apresenta o seu 'Clube do Rock'. Jair de Taumaturgo, o papa do rock do Brasil apresenta 'Peça bis ao telefone'. Na Radio Metropolitana, Eduardo Araújo apresenta 'Quanto mais rock melhor' às 16:30. Logo as 17:00 o broto encontra os programas 'Clube do rock' e 'Os brotos comandam' pela Radio Guanabara e emenda as 18:00 com 'Hoje é dia de rock', na Radio Mayrink Veiga.

Revista do Radio de 24 Fevereiro 1962.

Balanço do rock no Brasil de 1961 feito por Carlos Imperial: Sergio Murilo e Celly Campello mantiveram as corôas de Rei e Rainha do Rock no Brasil. O setor feminino  esteve fraco. Sonia Delfino, Cleide Alves e Célia Vilela não convencem como cantoras para a juventude e os brotos brasileiros não as aceitam com suas intérpretes. Estão longe, muito longe de substituírem Celly Campello. Entre os rapazes, sim, a safra foi boa. Além do Rei Sergio Murilo tivemos a grata revelação que foi Demétrius como melhor cantor da juventude de 1961. Roberto Carlos, que está se tornando mania entre os brotos cariocas, teve seu LP classificado como melhor album de música jovem. Ainda, no final de 1961, surgiu um rapaz que será um dos líderes futuros: Wilson Simonal. Renato & seus Blue Caps e os Jet Blacks de São Paulo são absolutos em matéria de conjuntos instrumentais. Entre os disc jockeys de São Paulo, Antonio Aguillar foi a grande revelação juntamente com os 'cobras' Carlos Alberto Lopes e Sergio Galvão. No Rio, Jair de Taumaturgo e os programas do Clube do Rock continuam absolutos.

'Hoje é dia de rock's best contestants of 1961.

1962

Finally in March 1962, 'Hoje é dia de rock' starts on TV Rio, Channel 13, every Sunday at 5:45 PM. Jair Taumaturgo as the producer and Isaac Zaltman as the MC. It is an instant success. But the radio show on Radio Mayrink Veiga goes on unabated.

'Hoje é dia de rock' on TV Rio, Channel 13.

JAIR DE TAUMATURGO 

Jair de Taumaturgo was instrumental in signing Maysa for Radio Mayrink Veiga. On the left Maysa hugs him dearly.

On top Jair de Taumaturgo watches Angela Maria, circa 1955, when she was at the top of her popularity. 


Saturday, 4 January 2014

FRED JORGE, a song-writer of sorts

Fred Jorge, whose real name was Fuade Jorge Japur, was the most popular song translators/adaptors among those in the late 1950s and early 1960s.

In the early days - from 1957 to 1960 - Brazilians didn't write original rock material. Most of rock songs  of this period were translations or adaptations of American, Italian, Spanish and even German hits.

Baby Santiago, a Black kid from São Paulo, was perhaps the first Brazilian who actually wrote original material even though his 'Bata baby', recorded by Wilson Miranda in 1960, was nothing more than 'Long tall Sally'-rehashed.

Fred Jorge was a radio-drama writer who had a smattering of the English language. He stayed in the United States for one year to get acquainted with the latest technology in the development of radio and improved his English quite a lot.

When the rock'n'roll craze started in Brazil, Fred already knew most of the tunes he had heard first hand in the US, and decided to 'translate' them into Portuguese. Fred Jorge's translation of Paul Anka's 'Diana' went straight to # 1 in the Brazilian charts in 1958 and made Carlos Gonzaga famous.

In 1959, Fred translated Neil Sedaka's 'Stupid cupid' (Estúpido cupido) which went to #1 and made Celly Campello the Queen of Brazilian Rock.

Later in 1959, Fred translated Sedaka's 'Oh Carol' recorded by Carlos Gonzaga, which went to the top of the charts too.

In 1960, Fred Jorge translated Migliacci's 'Tintarella di luna' which became 'Banho de lua', recorded by Celly Campello which was a smash hit.

Fred Jorge was on top of the world. He continued translating songs all through the 1960s but things changed around 1964 when Brazilian rock came of age and kids started writing their own material. Fred continued writing drama for the radio... which was dying fast.

Fred Jorge as a young man.


Fuade Jorge Japur liked travelling. He went to the USA many a time and dreamed of visiting the Far East. 


Em 1952, o nome de Fred Jorge aparecia na grade de novelas da PRA-5, Radio São Paulo. De 2a., 4a. e 6a. Fred aparecia como autor de 'Felicidade é você' no horário das 9 da manhã. 'Deslumbramento' era irradiada de 3a., 5a. e sábados às 10:00 da manhã.

Você poderia dizer com certeza, que Baby Santiago foi o 1o. compositor de rock brasileiro. O rock começa no Brasil circa 1957, mas todas as músicas eram versões de sucessos norte-americanos ou até italianos (Banho de Lua/Tintarella di luna).

Em 1960, Santiago verteu 'Long tall Sally', mas pode-se dizer que é uma 'adaptação'. Logo em seguida, em 1961, Santiago compõe 'Rock do Sacy', o 1o. rock genuinamente brasileiro.Portanto, Baby Santiago é, sem dúvida alguma, o 1o. compositor de rock nacional. Só 2 anos mais tarde, Hervê Cordovil apareceria com 'Rua Augusta' e Roberto Carlos com 'Parei na contra-mão'.

FRED JORGE na REVISTA DO RÁDIO 

O nome de Fred Jorge começa a aparecer em notas da Revista do Radio a partir de 1951, sempre contratado da PRA-5, Radio São Paulo.

Em 1952 há uma nota na seção 'Radio em São Paulo' dizendo que a paixão de Fred era viajar pelo mundo, tendo estado na California, Alaska, Havaí, Mexico, Cuba.

Fred Jorge, produtor da Radio São Paulo reuniu 46 de suas 'Cartas de amor' em forma de livro. Cartas de amor previamente lidas por Waldemar Ciglione e Ênio Rocha nos microfones da PRA-5. O autor diz no prefácio que as cartas tem por objetivo único levar um pouco de sonho e poesia a quem possui coração para sentí-las.

Biografia de FRED JORGE - Revista do Rádio 5 DEZ 1953

Fred Jorge conta que nasceu em 31 Maio 1924, em Tietê-SP, filho de Jorge Japur Abdala e Faride Abdala, na Rua do Comercio. O velho rio Tietê rolando e os deliciosos passeios de barco, nas tardes deliciosas de verão.

Fiz o curso primário no Grupo Escolar Luiz Antunes e me tornei professor primário na Escola Normal Plínio Rodrigues de Moraes em 1944.

Comecei a trabalhar na ZYI-8, Radio Tietê, de propriedade de Lafayete Camargo Madeira. Logo mudei-me para São Paulo, arranjando emprego em um escritório. Fiz um teste de redação na Radio São Paulo e fui aprovado. No início era apenas redação comercial, depois programas, e agora tudo. Escrevo o Grande Teatro Dramático.

Passei 1 ano nos Estados Unidos, onde tive oportunidade de examinar cuidadosamente o radio de lá. Não ultrapassa o nosso em nada, a não ser os de cartazes pessoais de fama internacional. Na estruturação de programas não apresenta novidade alguma.

Minhas manias principais: leitura, natação e discos. Minha maior ambição: conhecer o Oriente. Minha emoção mais intensa: quando revi o Brasil pela 1a. vez após 1 ano na América do Norte. Meus temores: tenho medo de vespas e fantasmas. Não gosto de escrever cartas. As únicas que escrevo com prazer são as 'Cartas de Amor' do meu programa diário. O que me inspira: a vida.

Fred Jorge publicou 'A vida de Santa Izabel'.

Fred Jorge apresenta 'Confissões' pela PRA-5 as 3as. e 5as., que são radiofonização de histórias verídicas enviadas pelas ouvintes.

Fred Jorge, produtor da Radio São Paulo, viajou para os Estados Unidos, devendo retornar em 1 ou 2 meses. É a 2a. vez que o rapaz visita a terra de Tio Sam. RR 5 MAIO 1956 - # 347.

A PRA-5 transmitiu a peça 'Quanto os melhores se encontram', de Fred Jorge, reunindo Maria Teresa, Augusto Barone e Waldir de Oliveira, que ganharam o Roquette Pinto de 1956.

Fred Jorge está produzindo a tele-novela 'Xeque mate' com Randal Juliano, Idalina de Oliveira, Vitor Lopes, Elton Seyssel, Oliveira Neto, Sergio Marques e Luiz Ignacio. Direção de Waldemar de Morais para a TV Record.


Fred Jorge dactilografando... reportagem da Revista do Rádio de 9 Agosto 1958 - # 465


1o. Festival Brasileiro de Radio-Teatro realizado pela Radio São Paulo nos dias 6, 7 e 8 de Setembro de 1958 - reportagem da Revista do Radio de 25 Outubro 1958 # 475.

Fred Jorge também se fazia presente como representante de sua classe. Em 1959, Fred faz parte da nova diretoria da Associação dos Radialistas do Estado de São Paulo (ARESP) tendo como presidente Airton Rodrigues; vice-presidente Hebe Camargo; 1o. secretário Fred Jorge; 2o. secretário: Xisto Guzzi; 1o. tesoureiro: Carlos Alberto Nóbrega; 2o. tesoureiro: Paulo Massenet.

Tony Campello declara à RR que gravou 'Pity pity' e 'Poor little fool' ambas versões de Fred Jorge.


Os compositores Archimedes Messina (cantor também) e Fred Jorge brindam à cantora Katâna Castelar - Revista do Rádio de 3 Outubro 1959.

Tendo por tema a juventude transviada, a PRA-5 lançou a novela 'À procura de um destino' de Fred Jorge.

A Odeon entregou a Fred Jorge o seu serviço de divulgação em São Paulo, continuando Alfredo Borba como 'public relations' da gravadora. RR 24 Outubro 1959.


Fred Jorge torna-se famoso no Brasil devido ao sucesso de suas versões - RR de 11 Junho 1960. Flávio Cavalcanti, sempre oportunista, tenta fazer celeuma sobre o sucesso de 'Banho de lua', tentando desmerecer o valor das versões em geral, além de insultar deu colega Jair de Taumaturgo.

George Freedman vem ganhando popularidade na Polydor com 'Olhos cor do céu' (Pretty blue eyes), versão de Fred Jorge.

Celly Campello faz sucesso com 'Broto legal' (I'm in love) versão de Renato Corte-Real e 'Mal me quer' (Don't eat the daisies) versão de Fred Jorge.

Carlos Gonzaga vende bem com 'Foi teu beijo' (Something has changed) de Paul Anka, versão de Fred Jorge. RR 26 Novembro 1960.

O elenco da Radio São Paulo faz sucesso em Portugal, através das gravações da 'História de Nossa Senhora de Fátima' e 'História de N.S. da Aparecida'. As produções são de Fred Jorge.


Além de ser o Rei das Versões de rock'n'roll, Fred Jorge emplaca a versão de 'La novia' em 1o. lugar absoluto em 1961; gravação de Ângela Maria para a Continental Discos.



Fred Jorge escrevia proficuamente para a Editora Prelúdio, que editava esses livretos sobre vidas de santos. Santa Apolônia, protetora dos dentistas, Santa Martinha, virgem e mártir e Santa Isabel, a rainha de Portugal, que pôs os judeus a correr de lá. 

É de Fred Jorge a novela 'Uma cruz na estrada', que a PRA-5 transmite de 3as., 5as., e sábados de manhã. Apesar da fama de 'rockeiro', Fred ainda continuava firme com suas novelas pela Radio São Paulo.


Chiquita é descoberta de Fred Jorge, quando trabalhava como divulgador da Odeon. Quem vai ficar no lugar de Celly Campello quando ela se casar em Maio de 1962? Selma Rayol, Ellis Regina, Cleide Alves, Selmita ou Wanderléa? 

A PRA-5 apresenta a novela 'Com Deus pela liberdade' de autoria de Fred Jorge. RR 10 DEZ 1964. Como pode se notar pelo título da novela, Fred Jorge, aparentemente, tomou o lado da Ditadura Militar que se instalou no País em 1o. de Abril de 1964.

Fred Jorge continuou escrevendo para radio, TV, publicações populares e músicas. Escreveu 'O pequeno príncipe' em parceria com Tommy Standen em 1965, carro-chefe de Ronnie Von.

Roberto Carlos grava em 1970, 'A palavra adeus', música de Fred Jorge, aparecendo no lado B do compacto-simples '120... 150... 200 km por hora'.

'Se eu partir' (1971), 'Você já me esqueceu' (1972), 'Não adianta nada' (1973), 'O dia a dia' (Fred Jorge-Nenéo) eem 1976 e  'Todos os meus rumos' em 1978. 'Recordações e nada mais' é parceria de Fred Jorge e Roberto Carlos.

Fred Jorge faleceu em 20 Outubro 1994, com 70 anos de idade.


DJ Antonio Aguillar & Fred Jorge at 'Reino da Juventude' a show Aguillar had at TV Record in 1964.